Bolsonaro xinga e comemorar fim do 'inquérito das notícias falsas'

Bolsonaro xinga e comemorar fim do 'inquérito das notícias falsas'
                                                                             

                                     

                

                                     

Nesta quinta-feira (28), o presidente Jair Bolsonaro falou sobre a operação da Polícia Federal que cumpriu vinte e nove mandados de busca e apreensão. O discurso foi apresentado em frente ao Palácio da Alvorada, durante o período da manhã.

Os mandados foram realizados nos seguintes estados: Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal, Mato Grosso, Paraná e também em Santa Catarina. A operação, que faz parte do chamado inquérito de notícias falsas, ocorreu na quarta-feira (27).

Os pedidos foram cumpridos nos contatos vinculados a empresários e blogueiros que

Eles foram autorizados pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF.

                                     

Inquérito de notícias falsas e Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro chegou a criticar a operação, falou que “as coisas

Ele também chegou a citar em seu discurso que não existe democracia sem julgamento judicial que seja independente, também como legislativo.

Na quarta-feira (27), o presidente se expressa nas redes sociais, afirma que algo grave está ocorrendo em nossa democracia,

Eduardo Bolsonaro, no mesmo dia, falou durante uma transmissão ao vivo, ou pai, que tomou uma decisão ” medida enérgica ”. Além disso, afirmou que haverá um “momento de ruptura”.

              

Veja o discurso de Bolsonaro nesta quinta-feira

Bolsonaro começou o discurso ao falar sobre a liberdade de expressão

Logo após, ele disse que o processo foi criado em cima de uma notícia forjada, um fim de atenção a atenção da opinião pública.

Ele refere-se a boatos de que existe um “armário de ódio”, que causa ataques contra o presidente e sua família.

Bolsonaro afirma que na operação, uma polícia invadida a casa de inocentes, como humilhando na frente de suas famílias, sendo esse ato “inadmissível”.

“Mais um dia triste na nossa história, mas o povo tenha certeza, foi o último dia triste “, registrado Bolsonaro.

              

Bolsonaro volta a falar sobre vídeo da reunião

O presidente também voltou a falar sobre o ministro Celso de Mello, criticando uma solução de vídeo polêmico para o público. O vídeo era uma reunião que ocorreu no dia 22 de abril.

O vídeo tem como repercussão na mídia, como quando Abraham Weintraub, atual ministro da Educação, insultou

Logo após, o STF determina o ministro da Educação prestando assistência sobre a reunião.

Por fim, o ministro da Justiça, André Mendonça, solicitou a exclusão do Weintraub do inquérito.

                

                                          

                  

                    Não perca a nossa página no Facebook!                   

                                                      

                                 

                  © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

                                                                                                                                                                                                                         

            

          

continue lendo …