Caixa paga lote extra referente à 1ª parcela do auxílio emergencial a 200 mil famílias

Caixa paga lote extra referente à 1ª parcela do auxílio emergencial a 200 mil famílias

Neste sábado (6), o governo brasileiro fez o pagamento de mais um lote da primeira parcela do auxílio emergencial a cerca de 200 mil pessoas, conforme divulgação da Caixa Econômica Federal. Os pedidos que foram solicitados entre abril e maio e que estavam em reanálise foram atendidos e beneficiaram milhares de famílias brasileiras.

Segundo Tatiana Thomé De Oliveira, vice-presidente de governo , ou Dataprev enviou 1,4 milhão de pedidos, mas apenas 200 mil foram elegíveis e contemplados neste sábado. O beneficiário recebe o auxílio emergencial pela lista indicada no momento do cadastro ou pela economia digital criada pelo banco da Caixa.

Para essas famílias ou benefícios liberados para transferência imediata ou imediata, garante um vice-presidente da Caixa. Ao todo, uma Caixa já pagou cerca de 58,6 milhões de famílias brasileiras.

Pagamento da 2.ª parcela do auxílio emergencial

O auxílio emergencial já está na sua segunda cota de pagamentos que começou a estar disponível para saque ou transferência desde o dia 30 de maio para aqueles que receberam a primeira parcela até 30 de abril. Já aqueles que receberam esses dados depois de esperar o próximo calendário que indica os próximos dados para pagamento da segunda parcela.

Como contestar ou refazer o pedido emergencial

Para refazer o pedido basta entrar no aplicativo Caixa Auxiliar Emergencial, selecione a opção “acompanhar sua solicitação” e informe os dados (CPF ; dados de nascimento e nome da mãe) solicitados.

Para aqueles que desconhecem a mãe, existe a opção ‘mãe desconhecida’.

Caso o benefício seja negado, as permissões na mesma tela são duas opções: realizar nova solicitação e contestar essa informação. Caso escolha a primeira opção ou o cidadão deve preencher o cadastro novamente. Mas, pode optar pela contestação, se tiver certeza dos dados informados.

Nessa opção não há possibilidades de alterar os dados informados e ela pode ser feita uma vez.

Portanto, é mais indicado refazer uma solicitação do que contestar. Já o cidadão pode ficar tentando uma nova solicitação, quantas vezes achar necessário.

Principais motivos que culminam na recusa de auxílio emergencial

  • Quando o sistema detecta que há vínculo ativo ativo;
  • Quando o sistema detecta o cidadão recebe seguro-desemprego ou benefício do INSS; e
  • Quando uma renda familiar declarada é superior a 3 baixas ou um salário mínimo médio por membro familiar.

Aumentou o número de registros no auxílio emergencial

Uma nova lista de processamento com o pedido de benefício mostrou que houve um aumento de 101,2 milhões para 101,9 milhões. Mas, apenas 59,2 milhões foram elegíveis, tendo o benefício liberado e 42,7 milhões tiveram o benefício negado, conforme informações do site Agência Brasil.

Não perca a nossa página no Facebook!

© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

continue lendo …