Caminhoneiros realizam protesto contra medidas de isolamento social em São Paulo

Caminhoneiros realizam protesto contra medidas de isolamento social em São Paulo

Vídeo do Dia: Adequado ao candomblé, Juliana Paes afirma ter buscado líder espiritual durante a pandemia

                                                                             

                                     

                

                                     

Na última segunda-feira (18), logo após a suspensão do rodízio ampliado na cidade de São Paulo, ocorreu um protesto de caminhoneiros.

O motivo pelo qual está vinculado às medidas de isolamento impostas sociais por Bruno Covas, o prefeito da cidade, e João Doria, o governador do estado. O protesto em questão foi capaz de deixar o trânsito na Marginal Tietê, sem sentido Ayrton Senna, ainda pior.

De acordo com informações fornecidas pelo programa “Brasil Urgente”, exibido pela TV Bandeirantes, os líderes do protesto em questão, chegado a destacar que eles pretendem permanecer estacionado próximo à Ponte das Bandeirantes até as 22h.

                                     

Segundo o UOL, a Polícia Militar chegou a declarar que os profissionais citados tiveram início às 11h, pela Ponte da Aricanduva. Na faixa de horário das 15h, os manifestantes chegaram à Ponte das Bandeiras.

Aceitar os fatos destacados, é possível declarar a última segunda-feira registrada ou o maior congestionamento de veículos desde o início da quarentena em São Paulo. Conforme indicado pelo UOL, há 28 milhas de veículos que causam lentidão no trânsito.

Se mostra válido exceto que, ainda na tarde da última segunda-feira (11), ocorreu outro protesto de perueiros e caminhoneiros na capital paulista.

              

Na ocasião, duas faixas da Avenida Paulista foram bloqueadas pelos trabalhadores citados. Posteriormente, uma manifestação seguida na direção da Marginal Tietê.

Ainda é possível registrar um caminhão que integra esse primeiro protesto, contando dois caixões nos quais, via imagens de Bruno Covas e João Dória.

Além dos objetos citados, os veículos da manifestação ainda contam com adesivos que exigem a saída da Doria do governo de São Paulo.

João Doria comentou sobre o respeito dos protestos

Após o ocorrido, o governador do estado chegou a comentar o respeito do protesto em questão e destacou todas as manifestações, quando democráticas, usadas ser aceito por fazer parte da vida na sociedade e também da própria ideia de democracia de um país.

              

Também durante a sua fala, João Doria destacou que os protestos somente não podem interromper ou mesmo prejudicar o acesso das pessoas aos locais e prejudicar o seu direito de ir e vir, algo que ele não considera correto.

)

É possível declarar que, atualmente, São Paulo é o estado brasileiro com o maior número de casos de novos coronavírus, sendo considerado o epicentro do Covid-19 no território nacional. Além disso, o estado também assume uma liderança quando se trata de respeitar o número de óbitos associados a vírus.

                

                                          

                  

                    Não perca a nossa página no Facebook!                   

                                                      

                                 

                  © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

                                                                                                                                                                                                                         

            

          

continue lendo …