Caso Miguel: MP denúncia Sari por abandono de incapaz com resultado de morte

Caso Miguel: MP denúncia Sari por abandono de incapaz com resultado de morte

Nesta terça-feira (14), o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) denunciou o Sari Corte Real, o primeiro dama de Tamandaré, por abandono de incapacidade com resultado de morte, combinado com artigos anteriores do Código Penal Brasileiro que agravam como penas pelo crime “ter sido contra criança em conjunto com calamidade pública”, em caso de pandemia de novo coronavírus. Agora, com esta denúncia, ou pesquisa que investiga a morte do menino Miguel Otávio, siga para a Justiça.

Relembre o caso

O filho da agora ex-funcionária de Sari, Miguel, caiu do 9º andar do prédio de luxo onde a primeira dama mora, no Recife, no dia 2 de junho.

No momento em que ocorreu o acidente, era um ex-pai da mãe do menino que estava responsável por cuidar da menor idade. Isso tendo em vista que Mirtes Souza, mãe de Miguel Otávio, de 5 anos, havia saído para passear com os cachorros de Sari. Sari Corte Real chegou a ser detido por homicídio culposo, quando não há uma intenção de matar, mas pagará uma fiança de R $ 20 milhões e responde ao processo em liberdade.

dia 1º de julho, o primeiro dama foi indicado pela política de abandono de incapaz com resultado de morte. Esse delito é considerado “predeterminado”, quando uma pessoa acaba cometendo um crime diferente do que foi planejado.

MP teve 15 dias para analisar o caso

No dia 3 de julho, o MPPE recebeu o inquérito policial e teve um prazo de 15 dias para avaliar o ocorrido e tomar uma decisão final.

Com a decisão do MP, o promotor de justiça Eduardo Tavares apresentou uma denúncia, que foi registrada na 1ª Vara de Crimes contra a Criança e Adolescente da capital pernambucana. Procurado pelo portal G1, a defesa do primeiro-nome declarado que Sari só poderá registrar sobre o assunto quando tiver acesso ao pedido feito pelo órgão.

Defesa de Mirtes emita nota

Diferente da defesa de sari, ao ser procurado por defesa de Mirtes Renata Souza emite uma nota oficial sobre o novo episódio do caso. Segundo uma nota, a mãe de Miguel recebeu “auspiciosamente” a notícia de que seu ex-caminho foi denunciado por “abandono qualificado”. Além disso, ainda sem comunicado, a defesa de Mirtes informou que o envolvimento para obter a celeridade e o processo criminal do TJPE em meio a uma pandemia de Covid-19 também será refletido “nos autos do processo”.

Na última segunda-feira (13), familiares e amigos do menino Miguel realizam uma passagem no centro do Recife, pedindo ao MP que dê mais atenção ao caso de morte do garoto. Durante uma passagem, o grupo partiu da praça da República e foi em direção ao MPPE, que fica localizado na avenida Visconde de Suassuna, em Santo Amaro.

Não perca a nossa página no Facebook!

© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

continue lendo …