Criança de 3 anos morre afogada após cair em piscina em Itaporã (MS)

Criança de 3 anos morre afogada após cair em piscina em Itaporã (MS)

Ultimamente, como tragédias envolvendo crianças pequenas vem sendo corrigidas aqui no Brasil. Isso ocorre porque, nos últimos dias, houve casos de crianças morrendo ao cair de altos edifícios, mãe suspeita de matar o próprio filho, entre outras notícias tristes com os pequeninos. A última tragédia ocorreu na cidade de Itaporã, localizada ao sul do estado de Mato Grosso do Sul. Uma menina de 3 anos morreu ao cair na piscina da própria casa .

Uma tragédia

O fato trágico aconteceu na última segunda-feira (15), em Itaporã, sul do estado. Estavam na casa ou pai, mãe, avó e outro filho do casal, que tem 5 anos. A avó da criança foi até a delegacia mais próxima e relatou aos policiais que a menina estava com o pai dela no momento em que o telefone da casa tocou e ele foi para o interior da residência.

Nesse momento, sua mulher começou a usar uma parte externa da casa e ele correu para ver o que estava acontecendo e ao chegar, a mãe já havia se aposentado a filha dentro da piscina.

Ainda acordo com os parentes da avó da menina, ocorreu tragicamente muito rapidamente e os pais ainda fizeram os procedimentos dos primeiros socorros na vítima e posteriormente com ela no hospital mais próximo. Segundo ou delegado que acompanha o caso, Rauali Kind Mascarenhas, uma menina chegou a ser socorrida com vida, porém, ao chegar na unidade de saúde, ela já foi encontrada em óbito.

O delegado ainda que remove uma piscina da residência da família possui uma profundidade aproximada de 1,20 metro e finaliza a relação de que todo o processo investigativo vai esclarecer ou ocorrer e até o momento em que o caso está definido como “morte a esclarecer” .

Tragédia no Recife

Uma das tragédias que mais marcaram esse ano foi o caso Miguel, que aconteceu na cidade de Recife, no estado de Pernambuco. No dia 2 de junho desse ano, o menino Miguel, de apenas 5 anos, caiu uma altura de aproximadamente 35 metros, ou seja, não andar no prédio de luxo chamado Condomínio Píer Maurício de Nassau, que também é conhecido como Torres gêmeas.

A mãe do menino, Mirtes Renata, trabalha doméstica no quinto andar, para o Sari Corte Real, mulher do atual prefeito da cidade de Tamandaré, no interior estado. A doméstica saiu para passear com o cachorro da empregadora e deixou o filho aos cuidados da patroa. Em certo momento, Miguel estava procurando pela mãe e saiu pelo corredor do prédio até entrar no elevador.

Foi aí que um cliente apareceu tentando convencer-lo a sair do aparelho, mas desistiu. O menino foi até um local onde fica o aparelho de ar-condicionado, localizado em uma série e despachado lá em cima. Sari foi presa, porém, após pagar fiança, saiu da cadeia e respondeu a caso em liberdade.

Não perca a nossa página no Facebook!

© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

continue lendo …