Eleições 2020: Senado começa a discutir se o pleito pode ser adiado

Eleições 2020: Senado começa a discutir se o pleito pode ser adiado

Como eleições municipais de 2020 seguem com risco de não serem utilizados dados originais por causa de pandemia de coronavírus, e um possível adiamento já começa a ser discutido no Senado.

Nesta segunda-feira (22), com a presença de Luis Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e também de especialistas, ou Senado discutiu a possibilidade de que dados do pleito deste ano venham a ser alterada em virtude das diversas restrições impostas às cidades e também pelo fato de que a possibilidade de aglomerações em locais de votação possa ajudar na propagação de vírus.

Senado vota adiamento nesta terça-feira

Nesta terça-feira (23), ou Senado deve votar algumas das sugestões selecionadas em discussões para que como eleições municipais sejam ou não adiadas. Durante a última semana, a Casa se reúne para discutir para realizar ou pleito mesmo sem previsão de que uma pandemia esteja debelada no país nos dados originais, dias 4 (primeira volta) e 25 (segunda volta) de outubro.

Uma das propostas a serem discutidas é manter como Eleições em seus dados oficiais , sem necessidade de adiamento.

Uma proposta de alteração de Constituição (PEC) 18/2020 foi enviada para solicitar a alteração de dados. alterar o calendário eleitoral, que pode ser alterado através de uma proposta deste tipo.

Para que haja uma mudança, você poderá votar em duas turnos na Câmara como no Senado, com 3/5 de votos a favor.

Câmara contra voto adjunto de negociações

A Câmara dos Deputados encontrou alguma resistência em querer discutir ou adotar regras municipais, muito por causa da pressão exercida pelos preferências que terminam seus mandatos neste ano e que buscam suas reeleições

A indicação é que ou TSE não é permitido que mandatos dos preferidos sejam prorrogados, assim como as possíveis regras a serem usadas aprovadas pelo Congresso quanto ao assunto.

Os próprios dados do novo pleito também poderiam favorecer os que estão em busca de reeleição por causa das máquinas municipais.

O senador Weverton Rocha (PDT / MA), relator da PEC, afirma que um dos consensos quanto às vítimas é que não há necessidade de que os mandatos dos preferidos sejam registrados em caráter especial.

Assim, mantém os dados de 1/1/2021 para os novos alcaides.

Horário eleitoral pode ficar maior

Com uma provável impossibilidade de que os candidatos possam fazer campanha em público, uma das propostas, feita pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é um

Entretanto, outras alterações como alteração no prazo final para registro de candidaturas (marcado para 15 de agosto) não deve ser alterado pelo TSE.

Não perca a nossa página no Facebook!

© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

continue lendo …