Homem que enganou patas de pitbull e torturou será demitido, diz advogada

Homem que enganou patas de pitbull e torturou será demitido, diz advogada

Um caso grave de maus tratos a animais ocorreu na Grande Belo Horizonte, em Minas Gerais. Um pitbull, chamado Sansão, foi torturado por dois homens. Segundo Gleidson da Silva, tutor de Sansão, o cão teve duas patas decepadas e foi amordaçado com o nome de um animal de estimação.

O dono do animal revelou ainda que tudo é usado Sansão invade o terreno de uma transportadora e envolve uma briga com outros cachorros. De acordo com o portal G1, um dos homens pode aparecer Polícia para fornecer esclarecimentos, e o outro acaba fugindo sem se apresentar às autoridades.

O suspeito foragido trabalha na transportadora Zappellini e não aparece no local de trabalho desde o ocorrido.

Gleidson da Silva declarou que deseja que os agentes paguem pela crueldade. Uma advogada Maeve Zappellini revelou que o suspeito que trabalha na empresa foi dispensado de suas funções.

Pitbull Sansão recebe presente

Ainda de acordo com o portal G1, a Polícia Militar de Minas Gerais revelou que os procedimentos executados são todos os procedimentos necessários, e que o Ministério Público permitiu que as investigações fossem realizadas. Na última sexta-feira (9), o Sansão foi apresentado com uma cadeira de rodas.

O equipamento permitiu trazer melhorias na sua mobilidade após a perda de patas traseiras. A veterinária Ticiana Dornas declarou que Sansão pode estar familiarizando bem ao novo meio de mobilidade. Segundo a médica, Sansão separa a cadeira no primeiro momento, mas acredita que após as sessões de fisioterapia, ou o pitbull se adapta completamente.

Um profissional descreve o animal como um cão tranquilo e dócil.

O pitbull encontra-se internado no hospital da escola Arnaldo, capital mineira, onde está sob os cuidados da equipe veterinária. Sansão permanecer em observação por menos de uma semana para recuperar completamente as lesões.

O departamento jurídico da empresa Zappellini revelou que um dos suspeitos de crime, que era funcionário da transportadora, não havia como entrar em contato e simplesmente sumiu sem deixar rastros.

Empresa se manifesta

A empresa Zappellini fez questão de informar sobre o ocorrido dentro de suas dependências e com um de seus colaboradores.

Por meio de nota, uma transportadora declarada que praticou atos suspeitos contra Sansão era considerada grave e deveria ser punida em altura.

A empresa ressaltou, ainda , que poderá colaborar de todas as formas para os responsáveis ​​responder pela crueldade que cometeram. A Zappellini elogiou o trabalho de todas as instituições de proteção aos animais e afirmou que as reformas de apoio à causa.

Não perca a nossa página no Facebook!

© TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

continue lendo …